#12 Os múltiplos negócios da Kondzilla

marketing-na-kondzilla

André Izidro é formado em Rádio e TV pela UFRJ e tem especialização no mercado de filmes, TV e cinema. Além disso, foi coordenador de produção na TV Globo, onde mais tarde assumiu o cargo de coordenador de marketing e gerente de trade marketing na Som Livre. Hoje, André é Head de marketing, operações e BI na Kondzilla Records.

Kondzilla: 1 homem e meio bilhão de views por mês

o-que-é-kondzilla

A Kondzilla começou com um homem só em 2012, o Konrad Dantas (ou Kond Dantas), que teve a ideia brilhante de criar essa estrutura vertical e um canal com clipes e inovações dentro do funk. O canal ganhou dimensão global e a Kondzilla se desdobrou em diversas frentes, como: a gravadora que possui mais de 40 artistas, o licenciamento da marca, o departamento comercial ativo, o portal Kondzilla (voltado para os jovens de favela) e o desdobramento em diversas redes sociais. 

O canal faz hoje cerca de meio bilhão de views por mês, tem cerca de 123 milhões de usuários únicos nos últimos 90 dias, superando o número de usuários que o google traz do youtube. Além disso, cerca de 17% da audiência do canal está fora do Brasil, trazendo essa chancela.

Sintonia: resultado da parceria entre a Kondzilla e a Netflix

Em 2019, a Netflix, em parceria com a Kondzilla, lançou a série Sintonia, que já teve sua continuação com a segunda temporada confirmada. Sintonia teve um lançamento global e foi um projeto original do Kond Dantas com a LosBragas. 

Hoje, a Kondzilla se coloca como uma agência multiplataforma.

De onde veio o fenômeno Kondzilla?

A criação do negócio foi muito bem planejada. Kond Dantas fez uma análise do mercado de funk e observou a oportunidade de criar videoclipes, trazendo uma estética própria. Isso ocorreu no momento em que o Youtube no Brasil decola, estando atualmente no top 3 do ranking global de usuários ativos, apenas atrás da Índia e Estados Unidos.

“A escolha dele de criar uma vertical de funk onde todo mundo queria estar gerou um ciclo virtuoso fantástico.” – André Izidro

“A oportunidade aconteceu, você identificou, criou a marca e desdobrou em outros negócios.” – André Izidro

Crescendo com collabs e o funk como negócio

A Kondzilla levou os collabs para outro nível, porque são todos os artistas no mesmo canal, onde está também a audiência de todos os públicos. Isso deu muito certo para a visibilidade na hora de contratar, gerando um ciclo virtuoso. Em um mercado que não estava estruturado, o Kond criou a estruturação, trazendo o funk e o digital como negócio em outros níveis. 

Acertos e objetivos 

  • Aproveitar as oportunidades: foi a chave para o desdobramento da empresa, levando-a a atingir o tamanho que tem hoje. 
  • Muitas vezes os empresários contratavam a Kondzilla e quem era dono da música sempre foi o empresário. Porém, a Kondzilla já tinha o mercado, fazia sentido a organização ser dona de artistas também e dar mais destaque para a marca, desdobrando-a em produtos.
  • O Google, sempre como parceiro da empresa, trouxe diversas pesquisas sobre quanto a periferia não se identifica com os comerciais das marcas tradicionais.

Inovações no mundo da música

Por conta da rápida digitalização, o mercado da música teve que evoluir antes, estando à frente da situação atual.

Quem está bem avançado já está olhando para blockchain, porque a cadeia da música é extremamente complexa. As empresas de tecnologia intermediárias permitem com que você, por exemplo, grave uma música cantando “parabéns pra você” e publique no Spotify, algo que não seria possível há alguns anos atrás. 

Por ter uma vasta experiência no mundo digital, no marketing e no mundo da música, André já havia construído lógicas para esse tipo de negócio. A equipe de marketing da Kondzilla decidiu olhar mais para os dados e traduzi-los em ação, como por exemplo no caso do Bum-Bum-Tam-Tam. O termo “bum-bum-tam-tam”, um trocadilho feito com a vacina do Instituto Butantã, surgiu com um internauta citando a versão da música. A Kondzilla não perdeu a oportunidade de tornar isso um sucesso, lançando o novo videoclipe em uma semana após o estouro na internet. A notícia do lançamento da música se tornou notícia no mundo inteiro e foi a matéria mais lida do The Guardian na primeira semana de janeiro de 2021.

“O canal Kondzilla foi o primeiro na América Latina a alcançar 1 milhão de inscritos sem nenhum vídeo postado.” – André Izidro

Aprendizados e rotina na Kondzilla 

Focar em dados é extremamente importante. Em apenas um canal, a Kondzilla atingiu 123 milhões de usuários nos últimos 90 dias e isso representa praticamente toda a internet brasileira. Por isso, a equipe de marketing trabalha para fazer uma comunicação e um direcionamento para que essa pessoa que esteja buscando a notícia, vai ser colocada no portal e nas rede social. É preciso pensar como os dados são cruzados para que seja mais relevante e gere mais impacto. A partir disso, surge o desafio de pensar e criar uma estrutura de cruzar e armazenar os dados.

“O desafio é tentar trazer a audiência e deixar esse data lake bem redondo.” – André Izidro

PR na Kondzilla

A empresa tem um time de PR muito forte que está sempre alinhado a equipe de marketing. Além disso, dependendo do momento do artista, a Kondzilla oferece media training e aulas para manter a postura e a imagem positiva, tanto da marca, quanto dele mesmo.

“Estamos sempre antenados ao que o artista está fazendo em termos de social media.” – André Izidro

Uma ação curiosa

Quando o Facebook Messenger estava começando, a Kondzilla lançou um chatbot em parceria com o cantor sertanejo Luan Santana, impactando cerca de 15 milhões de fãs do artista.

Indústria da música: 5 dicas de conteúdo

O Poder do Hábito

Music Business Internacional

Billboard

BeatForBeat

Música e negócios – curso PUC-RIO

Outros artigos do Deep Growth: